sexta-feira, 23 de junho de 2017

Jesus Cristo, eu estou aqui

 Charge: Aroeira

Escândalo ambulante


No documentário, Coisa mais linda – História e casos da bossa nova, o compositor Roberto Menescal um dos condutores do filme, junto com Carlos Lyra, conta uma história interessante sobre a atriz Norma Benguel, famosa na noite, em espetáculos de vedetes do Carlos Machado.

Ela já havia sido protagonista do primeiro nu frontal do cinema brasileiro e pela sua aproximação com o pessoal da bossa nova acabou gravando um disco com a participação de Vinicius de Moraes. O disco trazia na capa o modo como Norma gostava de andar, nua, embora envolta em sombras, fundo escuro que deixava à mostra apenas sua silhueta, suas curvas, mas nada de escândalo.

O hoje cineasta Cacá Diegues que na época era estudante de Direito na PUC e presidente do diretório fez contato com seus amigos que freqüentavam o grupo da bossa nova e convidou a turma para uma apresentação no teatro de arena da faculdade.

Pediu permissão à reitoria católica que concordou com o espetáculo, contanto que a Norma Benguel não viesse. Tentaram demover a direção da PUC da censura, que não deu ouvido e permaneceu irredutível, já que Norma para os padrões da época e em especial para a Igreja Católica era um escândalo ambulante. 

Foto: Norma Benguel

quinta-feira, 22 de junho de 2017

Fora do jogo


Em recente encontro do ex-ministro do STF, Joaquim Barbosa, com artistas, o sambista Pretinho da Serrinha, tomou a palavra: “Eu não moro mais na Serrinha, mas conheço bem a comunidade. O senhor não imagina como aquela gente se encheu de orgulho ao vê-lo fazer o que fez”.

Joaquim, no entanto, insistiu que não pretende ser candidato na eleição do ano que vem: “Eu não levo jeito e não tenho jogo de cintura para a política, e sou muito franco”. Estiveram presentes ao encontro Caetano Veloso, Lázaro Ramos, Marisa Monte, Fernanda Torres, Thiago Lacerda e outros.

Foto: Joaquim Barbosa

28º Prêmio da Música Brasileira


Os cortes orçamentários na área da cultura, entre outros, por pouco não inviabilizaram a realização do 28º Prêmio da Música Brasileira, já que a participação oficial, através de verbas públicas, tinha valor significativo na estrutura da premiação. 

Vários artistas, como Elba Ramalho, Gilberto Gil, Zélia Duncan, Lenine, Pedro Luís, Mariene de Castro e mais, se cotizaram doando seus cachês para que o Prêmio acontecesse, alem da gravação de vídeos solicitando a contribuição popular para este fim.
A premiação ocorrerá no Teatro Municipal do Rio de Janeiro, no dia 19 de julho, e já estão selecionados os artistas que concorrem em variadas categorias como a de melhor cantora. 

Nesta, estão selecionadas Maria Betânia, com Abraçar e agradecer; Patrícia Bastos em Batom bacaba e, Zizi Possi em O mar me leva de Zeca Baleiro, que ouvimos aqui.

Vídeo: Youtube

Dançar, prá não dançar


As autoridades russas e os jornalistas do país devem estar se perguntando quem é aquela marmota que está se apresentando como presidente do Brasil junto a uma comitiva ficha suja tanto quanto o seu chefe.

Aliás, em termos de ficha suja são dois países enlameados num ranking da corrupção e juntos assinaram uma declaração de combate aos crimes de colarinho branco, o que não deixa de ser patético, neste momento em que sobre ambos pesam acusações variadas de mau comportamento republicano.  

Charge: Chico